Soluço Negro

Engole o soluço negro que te arrepia
e com tenazes garras te dilacera
o peito, em indizível agonia
Beija a serpente que te habita e espera

Aguarda o raio que desce, lancinante
e há de partir tua alma ao meio
teu vulto, uma chaga transbordante
de fel, retorna de onde veio.

Volta vencida, besta repugnante
ao seio que te acolhe, inferno delirante
em negros abismos de seres colossais

Arrasta, enfim, tua alma errante
a dor flutua, contorce teu semblante
e te sugam as vísceras os anjos infernais.

(escrito por Zailda Mendes)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: