Último suspiro

Golpeia com a lâmina voraz e reluzente
meu peito que aqui jaz, dormente
estraçalha a carne com a navalha fria
minha entranha onde um coração havia.

Esparrama em mim o fel que te habita
confundindo-se ao sangue que regurgita
em ondas de indizível agonia
sombra apenas do que foi um dia.

Escancara a chaga, besta insana,
aplaca o ódio que de ti emana,
suga, sôfrega, meu último ai
enquanto a vida de mim se esvai.

(escrito por Zailda Mendes)

1 Comentário

  1. mghorta said,

    9 maio, 2011 às 3:12 pm

    Muito lindos seus escritos, fiquei maravilhado. Linkei alguns poemas, espero que não se importe, mas deixei seu endereço e seu auto.

    Parabéns e sucesso na sua vida.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: